Blog

Os caminhos da vida

Você sabia que entre as décadas de 50 e 60 a mulher precisava de autorização de um homem (pai ou marido) para conseguir um empréstimo no  banco, ou abrir um negócio?

Com as mudanças na lei e evolução da sociedade muita coisa mudou desde então, e isso mostra na atualidade, a luta das mulheres por ganharem o seu lugar e ter direitos iguais perante o sexo masculino.

No âmbito profissional isso vem caminhando e tendo um grande poder através do empreendedorismo. Sim, as mulheres sabem onde querem estar e o porquê disso. As mulheres têm cada vez mais convicção de suas habilidades para trilhar o caminho profissional que escolheram para suas vidas.

Buscar um resultado perante seus esforços é o caso da Anna Carolina de Sousa Teixeira. Formada em Administração com ênfase em Marketing e estudante na área de Gestão de Pessoas, ela resolveu ser dona do seu próprio negócio, quando viu que precisava de algo para sua vida que a fizesse acordar motivada todos os dias, além de ter algo para chamar de seu.

Anna Carol

A virada de chave começou quando ela, conversando com seu amigo Paulo Henrique de Belém, notou os desafios e as alegrias que ele relatava em ser empreendedor e decidiu que queria isso para sua vida também, buscava a satisfação na sua carreira. “Comecei a procurar bastante sobre o tema ‘transição de carreira’ em matérias na internet com blogs, revistas e vídeos. Eu buscava entender se o que eu queria era empreender, trabalhar como autônoma prestando alguma consultoria ou se era apenas uma insatisfação com o trabalho que vinha desempenhando”, relata a administradora.

Ela percebeu que para se decidir, era preciso buscar o que realmente a motivava todos os dias, precisava se autoconhecer para saber por qual caminho seguir. “A vida inteira somos conduzidas a seguir o ritmo do trabalhador: estudar, se formar, arrumar emprego, se aposentar e morrer. Empreender é quase um pecado, você precisa ir contra tudo o que seus pais sonharam para você, como um emprego estável, um concurso público, um trabalho de carteira assinada. É muito difícil lidar com essas ‘crenças’ que você ouviu por toda a vida. Sem o autoconhecimento, a chance da frustração e da falta de confiança é alta, é preciso se manter em pé diante das dificuldades”, explica a empreendedora. 

Carol conta que tinha muitas crenças que a limitavam em dar o próximo passo, tinha muitas dúvidas para onde queria ir e se realmente deveria ir. O caminho começou a ficar mais claro quando ela conheceu a Adriana do Despertando Borboletas. “Quando li o e-book, me identifiquei na hora com cada linha do que ela dizia, e mesmo não procurando imediatamente, nossos caminhos se cruzaram e mudou a minha vida”. 

Em todo este processo de mudança de mindset e transição de carreira, Carol pode contar com a ajuda do seu marido Igor, um grande apoiador nesta empreitada. Ele entendeu o que ela queria para sua vida e embarcou nesta viagem empreendedora sem olhar para trás. “Hoje com a minha empresa, ele é meu sócio e mais incentivador. Minha família também entendeu os meus anseios e está ao meu lado”. 

Mas fazer tudo dar certo nem sempre é fácil, é preciso pensar no cliente, afinal a resposta final está nas mãos dele. E nessa jornada como empresária, Carol vê desafios que a ansiedade pode ser uma vilã. Ela pode ser inimiga para que o retorno aconteça rápido e a espera fica angustiante. 

“Empreendedor não é fácil e por muito tempo eu não me via como tal. A segurança de um salário fixo, de cumprir regras e não arriscar não me atendiam. Ser empreendedora para mim é mais que arriscar, é fazer algo com propósito para minha vida e para de outras pessoas, é ir contra tudo o que os outros dizem e fazer acontecer os resultados que esperamos. Participei de um sorteio com a Drica, mas não ganhei e a partir daquele momento comecei a conversar com ela por e-mail e fomos criando uma conexão. Até que decidi fazer o coaching de propósito com ela, ter alguém para falar sobre minhas dores, insatisfação e dúvidas do empreendedorismo foi primordial para permear o caminho que eu gostaria de seguir”. 

Tudo começou a mudar na vida da Carol. Mesmo com atendimento voltado para o lado profissional, ela pôde perceber como tudo na vida está relacionado, e que os demais setores precisam estar em harmonia. Que enfrentar os medos e crenças era fundamental para que ela fizesse as coisas funcionarem como gostaria.

“Além de ser uma excelente profissional, Drica é muito dedicada e apaixonada pelo que faz. Isso, sem dúvida, reflete no seu trabalho e ela busca que mais pessoas descubram o melhor dentro de si mesmas. A principal lição de tudo que vivi com a Drica foi a arte de me descobrir. É muito difícil passar por essa jornada, pois nem todo mundo está preparado para se descobrir por inteiro. Mas eu me encontrei e coloquei na mesa minhas falhas, meus medos, traumas, crenças e foi transformador. Consigo ver minha evolução pessoal e profissional, o resultado que tenho hoje é impactante e faz minha vida valer cada segundo”, esclarece Anna Carolina.

Com todo este processo, Carol abriu o seu negócio no ramo de tábuas de frios delivery, e está em fase de validação de seus produtos no mercado de São Paulo e testando estratégias de marketing e divulgação. Além disso, Adriana é uma amiga com a qual ela compartilha suas angústias e vitórias, ajudando a empresária a enfrentar a incrível jornada do empreendedorismo feminino.